• Joseh Lopes Ramos

Supremacia Nacional na Era da Comunicação Digital

Atualizado: 24 de Ago de 2019

Este artigo visa o aumento da segurança e eficiência dos sistemas de dados e informação

do nosso País.

O Risco está em toda parte, e está sempre em mudança. Soluções pontuais, embora

possam ter êxito em abordar ameaças específicas, são

ineficientes a longo prazo, e na pior das hipóteses, podem criar um novo conjunto de riscos, que acabará por acarretar mais despesas para seu enfrentamento.

Isto se dá pela falta de conhecimento, ou por orçamentos institucionais cada vez mais

reduzidos, para que setores possam bater suas metas, e as organizações como um todo,

possam assim atingir o tão esperado índice de eficácia, que é apenas momentâneo...

Deixando para se resolver depois, se acontecer uma perda importante de dados, os

procedimentos de backup, e o devido armazenamento destes dados.

É perceptível um crescimento importante do Cybercrime. Ele vem sendo praticado por

vários veículos de comunicação, através da manipulação de dados e informação. Vemos

isto, por exemplo, em redes sociais, e em divulgação de dados governamentais, entre

outros.


É minha opinião que nosso país necessita de um tráfego de informações e dados sadio

no seio da sociedade, e ações voluntárias em escolas, para que possamos sinalizar de

forma consciente às nossas crianças, os futuros cidadãos, sobre os riscos inerentes às

novas tecnologias, e sobre os riscos de avanço do uso indiscriminado e inconsequente de

dispositivos móveis, smartphones, notebooks, desktops, jogos online, entre outros.

Vivemos em um mundo que a cada dia se torna um ambiente mais digital. Importante

sinalizar que muitos não estão preparados para as invasões e crimes no ambiente

informacional. Sendo assim, neste ambiente ocorrem operações financeiras online,

espionagem, fraudes em documentos, difamação, racismo... Também neste ambiente

digital é que se encontram as informações importantes para provas de autoria das várias

modalidades de Cybercrime.


Os Auditores e Peritos, em conjunto, vão buscar evidência digital e documental desses

crimes, utilizando profissionais capacitados para que tragam à luz o que parece ser

impossível de se encontrar ou revelar. Utilizando uma metodologia de governança que

proporcione a blindagem de informações e de dados relacionados à segurança da

informação, que vai muito além de login e senha. Estas ações deverão ter um olhar para

regras de sistemas de informação, e o método de trabalho dos recursos humanos. Sendo

esta a única forma de reduzir os riscos de qualquer fraude, vazamento de dados e de

garantirmos um processo na cadeia end.


Outra ação já mencionada, mas muito necessária e possível, é formar uma rede de

solidariedade digital, que instrua no uso responsável dos instrumentos e tecnologias do

mundo digital. Tal organização poderia agir de forma presencial nas escolas

, levando informação de qualidade sobre este tema a pais, professores e alunos, levando em consideração tanto aqueles que tem pouco acesso à informação, como aos atingidos

pelas redes de desinformação, como também àqueles que menosprezam os riscos do

mundo digital. Desta forma atingindo um importante público, e educando sobre

comportamento seguro na rede, segurança da informação e privacidade de dados, tanto

online como fora do ambiente digital. Entendo que assim ajudaremos a formar uma

sociedade mais esclarecida e saudável, tanto digitalmente como no mundo tangível.

Como podemos proteger nossas informações e dar segurança aos nossos governantes?

Atualmente alguns bancos de dados do governo reúnem 77 milhões de brasileiros cadastrados em registros, ou seja, todos estes indivíduos e dados estão sendo observados. Estes dados foram informados em reportagem da revista Veja, Edição 2598, Ano 51, nº 36, de 05 de setembro de 2018. Neste dado podemos observar que além de empresas e órgãos públicos, temos empresas privadas com diversos níveis de contato e acesso a estes dados, através de diversos contratos. Este é um problema no que tange manipulação de dados em ambientes controlados. Tendo como ponto de vista nesta análise um colaborador desligado e levando seu conhecimento do sistema. Ou seja garantir a continuidade de negócio.

Uma visão bem interessante sobre a utilização destes dados pode ser desenvolvida através da análise de seu uso em eleições, tanto no Brasil como no exterior. Informações como telefone, endereço, tempo de serviços diversos, entre outros, estão sendo submetidos a técnicas como a de Análise Estrela (Star Schema). Este tipo de ação possibilita análises variadas, de acordo com o cenário desejado, e assim cria um robusto banco de dados, com várias possibilidades de resultados e análises para vários fins. Já na esfera privada, prestadores de serviços e produtos de maneira geral, também detém em seus cadastros dados importantes. Com o que se preocupar?

Se faz importante não dar visibilidade às eventuais vulnerabilidades no sistema. Quando mencionamos que o cenário está em risco, estamos abrindo portas, e estimulando oportunistas, sobre as possibilidades de ataque massivo a dados governamentais. Uma equipe voltada para trabalho de proteção e asseguramento da informação se faz necessária para garantir a integridade da informação e das ações em todas as esferas governamentais, como os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, e ainda nas Empresas Públicas.


É necessária uma avaliação de todos os cenários nas comunicações, com todas as ferramentas disponíveis, a fim de garantir que as transações financeiras, conversas entre os Três Poderes e outros atos institucionais tenham mais integridade, e que se atinja uma boa governança. Afinal somos brasileiros com muito orgulho!

Acredito que desta forma mitigamos fraudes e vazamentos por empresas que prestam serviços. Que geralmente são empresas privadas, que necessitam conformidade com a LGPD e a segurança nacional, com preocupação focada na prevenção, e alinhada com a estratégia do governo. Entre outras questões observadas para a produção deste artigo, levamos em consideração o vazamento das informações corporativas, que é uma realidade concreta na manipulação fraudulenta de dados. Note-se bem que seja na homologação de dados, ou em um sistema de informação, necessita-se de uma excelente equipe técnica e de trabalho, na contratação de um serviço e ou produto para nosso País. Por Joseh Lopes Ramos





10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Subscribe to Our Newsletter

  • White Facebook Icon

LP INFOCUS INTERNATIONAL MEDIA & MAGAZINE

Copyright ©2006 - 2020 Todos os direitos reservados